Diário de bordo, dia 291.

Agora, agorinha, estava ouvindo uma música no YouTube -Meu Sol da banda Vanguart (amo) e resolvi ler os comentários deixados no vídeo, um em específico me chamou a atenção, era algo do tipo: ‘ música linda, vontade de largar tudo e sair feliz pelo mundo’, várias pessoas compartilharam e comentaram a respeito, a grande maioria dizia sentir a mesma coisa, vontade de largar tudo e sair pelo mundo; também já compartilhei do mesmo sentimento e por muitos anos achava que minha vida só seria completa se fizesse isso e chegou o dia que Eu fiz, larguei tudo e viajei para o outro lado do mundo com três malas (Ainda foi luxo sair com as três :D) mas normalmente ninguém nos conta o lado B da história, sempre lemos relatos do tipo, quão maravilhoso é estar em outro país, quantas coisas novas, oportunidades! Mas normalmente não vemos ou optamos por não ver comentários sobre o quanto pode ser difícil.

Você pode largar tudo e sair correndo com dinheiro ou sem dinheiro, a adaptação fora do seu país sempre vai ser complicada, por mais desapegado (a) que você seja, chega um momento que você percebe que a falta que sente do seu país não é só das pessoas queridas mas sim da energia especial que O SEU LUGAR NO MUNDO tem, energia essa que você não vai encontrar em outros lugares, talvez algo parecido mas nunca a mesma.

A idéia aqui não é te desanimar de correr atrás dos seus sonhos, não é isso, afinal eu continuo correndo atrás dos meus, mas é expor um lado que às vezes por empolgação deixamos de ver, você não vai só estar em um lugar diferente falando outro idioma, você vai estar recriando sua própria essência, não é só sobre adaptação, é reinventar a si mesmo! Adaptação é você se encaixar no novo, mas longe de ‘casa’ você se faz novo com tudo mais ao seu redor.
Ok, te conto a parte boa disso tudo, você passa a viver como se cada dia fosse o último, amadurece, começa a amar mais as pessoas e ser cada dia mais grato pela vida e pela sua família – que nesse momento mesmo com uma saudade enorme torce por você.
Uma dica: seu lar é onde o seu coração está, então eu acredito que possamos estar em muitos lugares ao mesmo tempo e faça valer a pena, afinal nunca será só você fora de casa, serão seus amigos, pai, mãe, irmãos, avós… todos aqueles que te influenciaram positivamente de alguma forma a deixar a sua zona de conforto e reinventar-se em outro canto do mundo.

No meu caso, agradeço e dedico a eles minha paixão pelo novo, minha vontade insaciável pelo desconhecido e meu desejo de viver intensamente, ao meu marido deixo explícita minha admiração diária por ele colorir todos os meus dias, mesmo que estejam meio cinzas.

Com amor,
Evelyn.

image

Be Colorful!

4 comentários em “Diário de bordo, dia 291.

  1. Wow! Verdade, pessoas com esse sangue aventureiro sempre buscam olhando as coisas boas das possíveis viagens… Seria um grande passo começarmos a pontuar nossos sonhos como um todo, para quando acontecer estivermos mais bem preparados. Demais seu blog Evelyn!

    1. Acho que o segredo é realmente estarmos sempre esperando algo novo, uma hora ou outra sempre acontece e é um jeito de mantermos nossos sonhos acesos.
      Que bom que gostou Jean, espero sempre vê-lo por aqui 😉

Deixe uma resposta