Alimentando sonhos

Sempre achei que a partir do momento em que tivéssemos um sonho ele seria alimentado automaticamente, ou seja, a única coisa que eu teria que fazer seria nominar o meu sonho e trilhar o caminho para que ele acontecesse, simples assim!

Idealizar + trabalhar para que aconteça = algum dia sonho realizado.

Mas com o excesso de tempo livre que tenho tido, perdida em tantas reflexões me dei conta que algo fica esquecido nessa fórmula.

Sempre ouvimos o clichê de que precisamos ir em busca dos nossos sonhos, torná-los realidade! Mas uma coisa fica esquecida pelo caminho e pode resultar em uma caminhada vazia.
Em que momento você está alimentando seus sonhos, suas metas, objetivos? Talvez você os tenha traçado no primeiro dia do ano e eles sejam lembrados novamente só no próximo ano, quando você irá lista-los, mais uma vez, na sua agenda.
A parte de alimentá-los é tão importante quanto a caminhada até eles, é o momento em que nos abastecemos, recarregamos nossas energias e renovamos a nossa fé. Sem essa etapa sonhos sempre serão uma utopia.
Aproveite aqueles dias de ócio, falta de motivação pra fazer alguma coisa e liste, na sua mente mesmo, quais são os seus sonhos e pense sobre eles, preste atenção como até o seu ânimo muda quando você começa a fazer isso, é uma injeção de motivação que melhora qualquer dia que poderia estar entregue ao mau humor ou preguiça, é exatamente essa sensação que significa que você esta os alimentando!
É o momento em que a esperança se renova e você se reabastece para seguir em frente, e quando um sonho se realiza ele sempre irá gerar um fruto, um outro sonho, para que nossas vidas sempre tenham um propósito.

Só não esqueça de alimentá-los.

Não existem dias vazios, existem dias sem sonhos.

Beijos beijos;

Be Colorful!

 

 

2 comentários em “Alimentando sonhos

  1. Parabéns minha flor!! Ótima reflexão, concordo plenamente com as afirmações do referido texto, sonhar apenas não basta, devemos colocar em prática. Pois somente assim iremos torna los realidade.

Deixe uma resposta